sexta-feira, 22 de julho de 2016

Resenha #03 - O inferno de Gabriel

Título: O inferno de Gabriel #1
Autora: Sylvain Reynard
Editora: Arqueiro
Gênero: Romance
Número de páginas: 512
Ano: 2013
Avaliação: 
Enigmático e sedutor, Gabriel Emerson é um renomado especialista em Dante. Durante o dia assume a fachada de um rigoroso professor universitário, mas à noite se entrega a uma desinibida vida de prazeres sem limites. 
O que ninguém sabe é que tanto sua máscara de frieza quanto sua extrema sensualidade na verdade escondem uma alma atormentada pelas feridas do passado. Gabriel se tortura pelos erros que cometeu e acredita que para ele não há mais nenhuma esperança ou chance de se redimir dos pecados. 
Julia Mitchell é uma jovem doce e inocente que luta para superar os traumas de uma infância difícil, marcada pela negligência dos pais. Quando vai fazer mestrado na Universidade de Toronto, ela sabe que reencontrará alguém importante um homem que viu apenas uma vez, mas que nunca conseguiu esquecer. 
Assim que põe os olhos em Julia, Gabriel é tomado por uma estranha sensação de familiaridade, embora não saiba dizer por quê. A inexplicável e profunda conexão que existe entre eles deixa o professor numa situação delicada, que colocará sua carreira em risco e o obrigará a enfrentar os fantasmas dos quais sempre tentou fugir. 
Primeiro livro de uma trilogia, O inferno de Gabriel explora com brilhantismo a sensualidade de uma paixão proibida. É a história envolvente de dois amantes lutando para superar seus infernos pessoais e enfim viver a redenção que só o verdadeiro amor torna possível.



É com grande alegria que anuncio o fato de eu finalmente ter terminado de ler O inferno de Gabriel. \o/ VIVA!!!! Depois de mais de um ano guardadinho na minha estante aguardando por sua vez o livro finalmente retornou para as minhas mãos. 

Quando comecei a lê-lo no início do ano de 2015 imaginei um romance picante, sexy e maduro. Mas após cento e poucas páginas de pura melação em um belo clichê eu resolvi abandona-lo e prosseguir com outras leituras mais interessantes (me julguem). A bem da verdade é que eu não consegui engolir a velha fórmula: homem mais velho experiente e antigo cafajeste + mocinha boba, ingênua e virgem. Sério, não desceu... e por isso eu acabei arrastando a leitura por tanto tempo.

O romance entre Julianne e Gabriel é aquele típico enredo de novela mexicana, um amor proibido e muito caliente. Ele é professor dela na Universidade de Toronto e eles se vêm obrigados a manter seu relacionamento em segredo, mesmo sem haver um envolvimento físico entre eles (what?). O amor que um sente pelo outro é palpável mas por conta de segredos obscuros de seus passados eles se sentem acuados e indignos um do amor do outro. 

E foi esse jogo pra saber quem é o menos merecedor do grande amor do outro com direito a auto-flagelações verbais que me encheu o saco. Outra coisa que me incomodou e muito foi a inocência exagerada atribuída à Julianne, como se ela estivesse sempre em perigo e necessitando dos cuidados de Gabriel a todo momento. A dependência emocional que une os dois foi cansativa ao meu ver.

Mas é claro que o livro tem lá seus pontos positivos também né! Nem tudo são flores, mas também nem tudo são espinhos, e a narrativa é uma das partes boas. Sylvain Reynard sabe como prender o leitor à sua trama mesmo que ele não esteja de fato gostando dela, tanto é que eu consegui ler mais de 100 páginas em um único dia mesmo não apreciando a história narrada. Meio controverso não? 
"- Se você for esperar que sua cicatriz desapareça, Julianne, vai ficar esperando para sempre. Cicatrizes nunca desaparecem. A pintura de Caravaggio deixou isso claro pra mim. Feridas podem se fechar e talvez até sejamos capazes de nos esquecer delas com o tempo, mas as cicatrizes são para sempre." Pág. 434
Outra coisa bem interessante é a grande referência que o livro faz a Dante, escritor de A divina comédia e importante poeta italiano do qual eu não tinha nenhum conhecimento até o momento. O livro é riquíssimo em detalhes que os apreciadores de suas obras vão amar. E também tem muita referência a música clássica, juntando todas as músicas citadas durante a trama se poderia fazer uma bela playlist ;)

Por fim: "Você recomenda a leitura Ana?". Sim eu recomendo a leitura, porque aquilo que não me agradou pode te agradar e se você levasse apenas a minha opinião como base poderia estar perdendo de ler um livro que pudesse vir a te agradar. Então se você tem curiosidade em relação a ele basta relevar as minhas opiniões negativas e focar naquilo que eu citei de bom a respeito do livro *-*


16 comentários:

  1. inferno de Gabriel...
    Já tive muitas oportunidades de ler esse livro, mas nunca me deu uma vontade como essa que eu senti assim que li essa resenha.
    Gostei, parabéns.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Espero que você curta a leitura Iara, não funcionou muito bem pra mim mas pode ser que te agrade :)
      Beijos

      Excluir
  2. Oi Ana, tudo bem? Gostei bastante da sua resenha e do seu ponto de vista. Que livro nos dias de hoje não coloca a mulher como o sexo frágil dependente de um homem do lado para defendê-la ou estrutura-la emocionalmente? Pouquíssimos, e isso me incomoda extremamente também. Achei que o livro era melhorzinho, estava até na minha estante do skoob, mas depois dessa, vou até remover.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pois é Vitor, isso sempre me incomodou mas de uns tempos pra cá tem ficado pior. Eu até acho normal que uma moça em situação de risco, por exemplo, aceite ajuda de um cara pois acho que o orgulho não pode prevalecer nesse caso. Mas isso na vida real, nos livros eu não acho necessário que autores continuem batendo nessa mesma tecla, livros foram feitos pra inovar e não pra manter o clichê. Ainda mais nesse caso onde a dependência emocional é tão exagerada... Pelo seu comentário dá pra perceber que a gente tem um gosto meio parecido e é bem provável que você não curta o livro também.

      Obrigado pela visita, é sempre bom te ver por aqui *-*
      Abraços

      Excluir
  3. Oee Ana, ganhei o book de presente faz pouco tempo, seu ponto de vista é bom e me deu curiosidade pra ler o livro e saber mais afundo sobre essa historia. Eu gostei do seu blog, sucesso com ele, teus posts.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Maiane! Primeiramente muito obrigada *-*
      Já que você já tem o e-book seria bobagem não ler né kkk Depois quero saber o que você achou hein ;)
      Beijos

      Excluir
  4. Olá.
    Nunca tive interesse em ler esse livro, nunca tinha lido uma resenha sobre ele e nunca tinha se quer interessado em ler a sinopse e agora lendo sua resenha sei que não vou mesmo ler o livro, a premissa não me convenceu e um romance assim me irritaria muuuuuito, sério mesmo, dispenso kkkkkk

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oie!!! Nesse caso acho melhor seguir o conselho do seu Jaiminho (do Chaves) e evitar a fadiga kkkk

      Beijos e obrigado pela visita <3 *-*

      Excluir
  5. Olá,

    Acho que sou parecida com você nisso, não gosto desses grandes clichês. Sei que existe muita gente que gosta, mas eu também já abandonei alguns livros por isso kkkk.
    Parabéns pela resenha, adorei a honestidade!

    Beijos,
    Gaby

    ResponderExcluir
  6. Ganhei o box com a trilogia em uma promoção no final do ano passado e ainda nem abri! Também achava que seria uma história mais picante, mais sensual. Agora nem sei se abro o raio do livro, pq eu não tenho paciência pra mocinhas se fazendo de besta, dependendo de macho... Vou respirar fndo e decidir depois! ;) Amei a sinceridade!

    ResponderExcluir
  7. Olá!

    Primeira visita aqui e já gostei do blog. Quanto ao livro, ainda não tinha lido nenhuma resenha dele, mas se tem enredo de novela mexicana, já não gostei. Pra mim, enredo de novela é de novela e não pode estar em um livro, senão fica maçante demais. Gostei da capa e da sua sinceridade.

    ResponderExcluir
  8. Ana!
    É como você falou, uns podem gostar, outros não...
    É bem no estilo que aprecio, acredito que gostaria.

    “Terei toda a aparência de quem falhou, e só eu saberei se foi a falha necessária.” (Clarice Lispector)
    cheirinhos
    Rudy
    http://rudynalva-alegriadevivereamaroquebom.blogspot.com.br/

    Tentei seguir aqui, mas está dando erro...

    ResponderExcluir
  9. Oi Ana, sua linda, tudo bem?
    Eu sempre quis ler essa trilogia, e ela está na minha estante faz tempo, mas ainda não tive a oportunidade. Tomara que eu goste, pois confesso que tenho muitas expectativas, principalmente pelas citações de Dante (adoro). Gostei muito da sua sinceridade.
    beijinhos.
    cila.

    ResponderExcluir
  10. Oi Ana!
    Eu adquiri o box de O Inferno de Gabriel esta semana. Faz muito tempo já que eu quero ler, justamente porque o que mais me chamou a atenção na premissa foram as referências que você citou. Mas me desanimou o fato de ser aquele clichê de sempre da mocinha virgem, sabe. Acho isso insuportável. Não sabia e acabei me desanimando um pouco (risos)

    Beijinhos...
    http://estantedalullys.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  11. Olá Ana, ainda não tive a oportunidade de conferir essa obra, não sei se é o meu tipo de leitura, mas quem sabe. Vou anotar a dica.

    Abraços

    ResponderExcluir
  12. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir