sexta-feira, 8 de julho de 2016

Crítica | Wynonna Earp - 1ª Temporada

Título: Wynonna Earp
Criador: Emily Andras 
Gênero:  Ação / Fantasia / Faroeste
Ano de lançamento: 2016
Elenco:  Katherine Barrell, Melanie Scrofano, Tim Rozon, Shamier Anderson, Greg Lawson, Anna Quick, Dominique Provost-Chalkley.
Wynonna Earp é uma série Canadense com temática sobrenatural baseada na Graphic Novel de mesmo nome escrita por Beau Smith. A série teve estréia no canal Syfy em março deste ano e já tem sua primeira temporada completa.

Como protagonista nós temos a própria Wynonna Earp, uma mulher de 27 anos com a incumbência de matar todos os demônios retornados que foram mortos pelo último herdeiro. A maldição funciona da seguinte forma: A cada geração um novo membro da família Earp é destinado a combater seres das trevas que retornam do inferno com o objetivo de se manterem vivos na terra e causar o caos.  

Partindo dessa premissa nós somos inseridos em um velho oeste moderno repleto de pistoleiros e demônios assassinos, Purgatory é praticamente uma terra sem lei apesar de ter seu próprio xerife (um bundão diga-se de passagem) que será facilmente contestado com a chegada do agente Dolls, um homem especializado em casos sobrenaturais.



A cada novo episódio há um impasse diferente a ser enfrentado pela nossa "heroína", mas o pano de fundo permanece o mesmo dando ao espectador a impressão de familiaridade com a trama sem se tornar enfadonha em momento algum.

Wynonna é um caso à parte, ela me lembra muito Jessica Jones, tanto na aparência quanto no modo de agir. Mas a maior diferença entre as duas é o fato de Wynonna ser mais extrovertida, ela é bem mais brincalhona e menos sarcástica que a Jessica e isso dá um certo toque de humor na série. Ela é um ser humano com muitos defeitos, porém é também uma irmã dedicada e uma mulher que se preocupa com o bem estar dos que estão a sua volta.


Os personagens secundários também empenham um papel muito importante na construção da trama. Waverly a irmã de Wynonna se torna parte da equipe de investigações e se empenha bastante tentando ajudar o máximo possível, o estereótipo de garota bonita porém burra é quebrado com essa personagem que se mostra forte e muito ativa em todos os momentos que aparece, e isso é meio que sempre.

Na verdade eu diria que em termos de representatividade a série se mostra bem autêntica, colocando negros, mulheres e uma lésbica como personagens de destaque na trama.

O desenrolar dos fatos é bem interessante e nessa primeira temporada o espectador é sempre surpreendido, e posso dizer que essa série de pistoleiros repleta de sangue e intrigas já conquistou um espacinho no meu coração *-* 


3 comentários:

  1. Respostas
    1. Que bom que gostou :)
      Obrigado pela visita, beijos *-*

      Excluir
  2. Não sei por que, mas achei bem parecido com sobrenatural. Ótima dica, pena que não tenho tempo de ver :(

    www.catracaseletiva.com.br

    ResponderExcluir